Cinco razões para deixar seus filhos brincarem




Parece desnecessário dizer que criança tem que brincar, mas no mundo de hoje que valoriza o sucesso rápido e a busca desesperada por dinheiro, elas estão perdendo a infância. A violência tira o direito da criança brincar na rua porque é perigoso e muitos pais, na boa intenção ou mesmo na tentativa de se livrar dos filhos, impõem às crianças mil atividades como aulas de música, de arte, de idiomas e isso preenche o tempo e a semana e o final da semana dos pequenos.
Então como mãe e Pedagoga levanto essa bandeira, o futuro sempre estará as portas, mas a infância, essa só existe uma!

1-Alívio do estresse: brincar é uma oportunidade para as crianças processarem e trabalharem com as emoções negativas com as quais se deparam ao longo do dia

2-Controle emocional: através da brincadeira, as crianças aprendem a controlar seus impulsos e a trabalhar suas emoções. Elas aprendem a encontrar os gatilhos e a resolver potenciais problemas

3-Habilidade de interação social: a melhor maneira de deixar as crianças trabalharem suas habilidades de interação social é deixá-las brincar em grupo, sem interferência. Quando envolvidas em brincadeiras em conjunto, elas têm de aprender a cooperar, resolver conflitos, ter empatia com os outros e a se relacionar com seus pares

4-Resolução criativa para problemas: uma criança pode memorizar as respostas às perguntas de matemática e ter dificuldade em resolver problemas na vida real. Ela tem de aprender a dar um passo atrás e avaliar a situação antes de desistir da brincadeira ou de ficar brava com alguém. Isso é algo que se aprende através das brincadeiras

5-Promoção da aprendizagem: a grande ironia de aumentar a pressão acadêmica em detrimento da brincadeira desestruturada é que a brincadeira realmente promove a aprendizagem. A brincadeira é um estilo de aprendizagem mais natural para as crianças. Elas aprendem brincando desde o primeiro momento em que mordem blocos de madeira e continuam a aprender à medida que crescem

Fonte: Moises Chencinski, pediatra e homeopata

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Voltar ao topo